terça-feira, 1 de março de 2011

Mana-chica

A mana-chica é mistura do fado com as quadrilhas de roça (Campos, RJ).
Mana-chica é uma dança figurada, existente em Campos RJ, que, segundo Alberto Lamego Filho, é coreograficamente uma legítima quadrilha.
Renato Almeida assim descreve a dança, na sua terminologia francesa: “Os pares começam girando em balancé. Depois, fazem chemin das dames, findo o qual, de novo se reúnem e dão várias voltas. A seguir, a grande chaíne com sapateado. Novo chemin des dames, enquanto os cavalheiros, frente a frente, sapateiam. Afinal, os pares se reúnem”.

Ainda segundo esse auto trata-se de um tipo de dança da qual fazem parte, sob a denominação geral de fado: marreca, andorinha, mineira, magatô, barabadás, feijão-miúdo, quindim, balão faceiro, gambá ou extravagância.

Segundo Oneyda Alvarenga, na maioria o nome dessas danças parece derivado dos textos, de elementos que obrigatoriamente os freqüentam, e, embora se saiba que o fado nasceu no Brasil e depois se naturalizou português, tal nome surge aparentemente sem relação com essas danças.

Das danças citadas, a mais popular entre os negros da zona campista talvez seja a extravagância ou gambá, encontrada também no sul de Minas Gerais, onde é considerada uma moda-de-recortado.

Quanto à melodia, Renato Almeida a considera muito característica da música rural brasileira. O acompanhamento é feito por violas e pandeiros e, ao que tudo indica, os instrumentistas são alguns dos dançadores.

Conhecida como dança de fandango no vale do Paraíba do Sul, especialmente nas regiões fronteiriças de Minas Gerais e Rio de Janeiro, a mana-chica é parecida, segundo Alceu Maynard Araújo, ao trançado ou passado de Ubatuba SP.

Uma música de Rita Ribeiro sobre a Mana Chica, que talvez não tenha nada com a nossa quadrilha mana-chica. O título da música é "Mana Chica":



Fonte: Enciclopédia da Música Brasileira - Art Editora.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário